Semusa encerra ações do janeiro roxo com palestra no CEM sobre Hanseníase

01 / Fev / 2019 - 13:47

Também teve pit stop no centro de Porto Velho com distribuição de panfletos

Em alusão ao mês de conscientização sobre a hanseníase a Secretaria Municipal de saúde (Semusa), através do departamento de vigilância em Saúde, realizou para os pacientes que aguardavam atendimento no Centro de Especialidades Médicas (CEM), uma palestra sobre a doença.

O Médico Thiago Barnabé, dermatologista do CEM, reforçou as orientações sobre a doença e a importância do diagnóstico precoce para reduzir as sequelas incapacitantes da doença.

“É importante que ao identificar uma mancha indolor em qualquer parte do corpo, a pessoa procure uma unidade básica de saúde para fazer os exames e se for constatada a doença iniciar o tratamento o mais rápido possível.” Enfatizou o médico.

O CEM é a unidade de referência para o tratamento de hanseníase em casos mais graves da doença, explicou a diretora da vigilância em saúde, Régia Pacheco.

“Porto Velho é uma área endêmica para os casos da doença, em 2018 tivemos 102 casos da doença sendo 2 em menores de quinze anos, a população deve estar alerta e procurar o tratamento o quanto antes em uma de nossas unidades, já na primeira dose de medicação a pessoa infectada já deixa de transmitir a doença para os outros.” Explicou a diretora.

Durante todo o mês de janeiro a coordenação de combate a hanseníase intensificou nas unidades básicas de saúde as orientações e busca ativa da doença com a identificação de possíveis casos. E foi realizado um pit stop no centro da capital pela coordenação para distribuir panfletos com o objetivo de conscientizar a população sobre a doença.

Também foi criado no CEM o primeiro grupo de autocuidado da hanseníase do município informou a coordenadora, Sheila Arruda. “O grupo é formado por pacientes em tratamento e uma equipe de multiprofissionais de saúde, além da doença essas pessoas ainda sofrem preconceito e trabalhar essa questão é um dos objetivos do grupo.”

Hanseníase

A hanseníase é uma doença infectocontagiosa crônica, mas que tem cura. Atinge principalmente a pele e os nervos, podendo também afetar a face, os braços, as pernas, mãos e pés. Se não tratada pode causar deformidades e incapacidade física. De acordo com a Organização Mundial da Saúde o Brasil é o segundo país com mais casos da doença ficando atrás apenas da Índia. São trinta mil novos casos registrados por ano. O tratamento é feito nas unidades básicas de saúde.

.